LOGO-MARCA

notícias

Raciocínio Moral

Data: 10/02/2016

Ao deparar-se com o tema da palestra promovida pela Ideal Conveniada Fundação Getúlio Vargas no último dia 29 - “A Nova Competência da Liderança” - é possível que muitos tenham voltado suas expectativas para as inovações do mundo tecnológico, científico e informacional. No entanto, é possível que o segredo do sucesso esteja guardado também nos conselhos da vovó.  Para o professor Ivanildo Macêdo, mestre e especialista em educação e desenvolvimento de pessoas, o comportamento moral dos líderes é essencial para o crescimento das empresas.

Macêdo explica que sua palestra é sobre a “nova” competência do líder porque as empresas não costumam olhar suas lideranças sob o ponto de vista do raciocínio moral, o que pode ser um erro. Além da palestra, ele escreveu o livro “O Amadurecimento Moral do Inferno” motivado pela constatação de que existe um elevado número de líderes que visam apenas o crescimento individual, bem como pela identificação da incapacidade de muitos em agir de forma empática.

Conforme o professor, uma liderança comprometida com o desenvolvimento de sua consciência moral é fundamental para o sucesso de uma empresa. “Quando o líder pensa apenas em seus interesses, cria uma rede de insatisfações entre fornecedores, clientes, funcionários, dentre outros”, defende. De acordo com ele, muitas empresas pagam cursos de qualificação para melhorar o comportamento do líder, todavia, enquanto ele estiver em um estágio imaturo de raciocínio moral, ele utilizará seus conhecimentos apenas garantir seus próprios interesses.

DESAFIOS

A competência moral, contudo, não pode ser desenvolvida em empresas cuja alta administração funciona sob uma lógica paternalista e autoritária. “Se o líder estiver em um estágio avançado de raciocínio moral, mas não tiver o apoio de seus superiores, não poderá pôr em prática o que acredita e ficará frustrado”, alega. O especialista ratifica as vantagens que as empresas encontram em visar à competência moral: “Apenas o líder em estágio elevado de raciocínio moral, ou seja, com um comportamento moral elevado, pensa de forma estratégica e sistêmica”. 

BOA NOTÍCIA

Outra surpresa para aqueles que acreditam que esse tipo de educação vem de berço é que a maturidade emocional pode ser estimulada e desenvolvida a qualquer tempo. Conforme o professor, é preciso investir em empatia com ações educacionais voltadas para os líderes. “É possível estimular o raciocínio moral colocando a pessoa em situações em que ela tem que agir com empatia. Muitas vezes, ela age de forma imatura porque não conhece outras formas de raciocinar”, informa.

INFOGRÁFICO:

Seis estágios do raciocínio moral de Lawrence Kohlberg

1.       Castigo e Obediência,

2.        Interesse Pessoal,

3.        Conformidade Interpessoal,

4.        Lei e Ordem,

5.       Contrato Social e

6.        Consciência de Princípios Éticos Universais.

Compartilhar