LOGO-MARCA

notícias

Gestão de negócios em meio a desafios atuais

Data: 05/05/2017

Diante do cenário econômico que assola o Brasil, comandar uma empresa requer estratégia, habilidade e muito conhecimento de gestão. A gerência corporativa com excelência nunca foi tão fundamental para o sucesso de um negócio. Por isso, profissionais buscam se qualificar mais e mais para estarem capacitados e atualizados para os desafios atuais. A FGV, por exemplo, oferece o curso de Gestão de Projetos, o qual oferece disciplinas que permitem solucionar problemas do atual contexto.

Uma das disciplinas do curso é Análise de Viabilidade de Projeto, que oferece ao aluno o conhecimento e embasamento técnico para prosseguir um projeto e conseguir colaborar com o processo de gestão da empresa. 

Quando se trata de gestão, um dos principais objetivos é o monitoramento do projeto que acaba constituindo uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) ou uma Special Purpose Company (SPC). O monitoramento da rentabilidade é uma das funções do gestor, que é o chamado conselho de administração dessa sociedade de propósito especifico. “Posso dizer que já participei de várias sociedades e do conselho de administração como membro indicado pelo acionista para representá-lo, então é uma ferramenta importante, tanto para você analisar o seu ingresso no novo negócio ou mesmo para monitorar”, explica o professor Marcelo Reis, que ministra a disciplina na FGV.

Hoje as empresas cada vez mais perseguem uma transparência ao realizar novos empreendimentos, então essa peça do “valuation” é fundamental para o gestor conhecer o negócio e se assegurar, dar a credibilidade que a tomada de decisão exige. Na situação de um pequeno médio empresário que queira tomar um empréstimo bancário para compor os recursos que ele vai utilizar para implementar um novo projeto ele vai precisar também  desse instrumento que é o valuation para levar a esse órgão financiador e conseguir obter o empréstimo que ele está pretendendo, então hoje na área de gerenciamento de projetos nada acontece em termos de obtenção de novos empréstimos relação com fornecedores que sejam chave para o projeto, relação com “stakeholders” tomada de decisão sem que você tenha uma avaliação muito bem elaborada, essa disciplina, análise de viabilidade de projeto dá ao aluno embasamento técnico para prosseguir um valuation de um projeto, para conseguir colaborar em um processo de gestão de empresa.

“Isto faz com que os profissionais cada vez mais sejam levados a empreender, e para empreender você precisa entrar em um negócio, estar preparado para encarar esse novo projeto, e estar preparado significa conhecer muito desse projeto e analisar a viabilidade que ele vai ter diante de situação de riscos e incertezas, quando se fala  em analisar o projeto requer que seja feito um estudo de viabilidade diante de diferentes cenários, e esse estudo de viabilidade requer técnicas que se aborda aqui nos MBAs da Fundação Getulio Vargas, notadamente no MBA de gerenciamento de projetos em que você tem uma serie de técnicas para poder ver se o projeto vale ou não a pena ser implementado. Só que as pessoas muitas vezes acham que a análise de viabilidade é uma técnica apenas para o ‘kick off’ que é o período de start do projeto, e na realidade ela serve também para monitorar um projeto que já está em andamento, porque na realidade quando se toma a decisão de entrar em um empreendimento o investidor possui uma rentabilidade assegurada, uma rentabilidade que pretende ter de fato naquele projeto. Então a análise de viabilidade serve para monitorar o atingimento da rentabilidade pretendida pelo sócio pelos investidores”, completa Reis.

Segundo ele, hoje não se pode ser incauto, cada vez mais o ambiente corporativo precisa dessa ferramenta da análise de rentabilidade, a economia nas empresas sofrendo essa pressão internacional por transparência de projetos cada vez mais próximos da realidade com orçamentos criveis, factíveis, precisam da ferramenta do valuation para assegurar que realmente é um bom negócio. “Então o instrumento de análise deixa de ser um instrumento fictício, e passar a ser um instrumento real, ou seja, o instrumento que vai te levar a tomada de decisão, então cada vez mais os gestores das empresas precisam entender, conhecer e aplicar as técnicas de avaliação de projetos, seja em um pequeno negócio, seja em uma média ou grande empresa”, finaliza Marcelo Reis.

ASCOM

Compartilhar